1° estágio: como fazer um currículo de destaque?


Em um mercado cada vez mais competitivo, é preciso diferenciar-se. Todos os dias, recrutadores recebem dezenas de currículos de potenciais candidatos. Sabemos também que as experiências têm valido mais do que certificados ou diplomas. Mas, para ter chance de ser chamado para uma entrevista, um bom CV ainda é importante. Um bom portfólio, então, nem se fala! 

Para que você se destaque em meio ao mar de currículos recebidos pelo recrutador, é imprescindível que o seu chame atenção logo de cara. Por isso, aqui vão dicas poderosas para você mandar bem na elaboração do seu currículo.


Modelos prontos


 “A primeira impressão é a que fica”, já dizia o velho ditado. O currículo é sua carta de apresentação, então, cuide para que ele te apresente da melhor maneira possível.

Primeiramente, escolha qual modelo de currículo você vai seguir. O mais comum é aquele que lista, em ordem cronológica reversa, suas experiências profissionais. Com esse modelo o recrutador pode ver facilmente onde o candidato trabalhou e quanto tempo ficou em cada empresa.

Porém, esse modelo pode não ser o ideal para quem está buscando o 1° estágio. É aconselhado um modelo que ressalte o potencial, habilidades e aspirações. O diferencial desse é a possibilidade de discorrer sobre objetivos, conquistas até o momento e, até mesmo, hobbies e interesses – mas apenas se estes fizerem diferença na seleção.



Esse modelo, por exemplo, perceba que a Experiência Profissional é o último tópico. Além disso, o fato das Competências estarem em barras faz com que o recrutador queira entender quais são e a porcentagem de cada qualidade – isso chama a atenção.



Chamar a atenção é positivo, mas sempre com bom senso. Se a vaga para qual você está se candidatando for mais descontraída e criativa, como a de designer, por exemplo, é positivo o uso de modelos mais despojados e modernos, do contrário escolha sempre modelos mais sóbrios.


Invista tempo


Pare e planeje seu currículo. Não faça de qualquer jeito, porque é importante para você. 

Pense em como transmitir, clara e honestamente, o que você viveu e no que vale a pena expor aos possíveis empregadores. Inclua trabalhos voluntários e trabalhos universitários de destaque. Mesmo que não tenham sido remunerados, eles ajudaram a aprimorar certas habilidades. Além disso, uma pesquisa do CIEE (Centro de Integração Empresa- Escola) com 479 funcionários de empresas envolvidos diretamente na contratação de novos colaboradores aponta que voluntariado e pró-bono hoje em dia  valem mais do que o domínio de um segunda idioma. 

Aqui vale também conhecer a empresa: pesquise sobre ela e a vaga que está sendo ofertada, assim, o currículo pode ser feito de forma personalizada, ao invés daquele currículo genérico que é distribuído loucamente para várias empresas.


O que não pode ficar de fora de um currículo?


Dados Pessoais

Coloque o nome completo e dados principais: estado civil, idade, endereço e formas de contato (e-mail, telefone residencial e celular – sem esquecer o DDD). 

Caso possua um perfil no LinkedIn, rede social voltada para contatos profissionais, coloque o link para sua página. A dica aqui é: altere a URL para que ela fique personalizado com o seu nome. Mas como fazer isso? A gente te explica:




 

Objetivo Profissional

Coloque a área de interesse, é essencial que ela esteja alinhada com a vaga ofertada. Não é recomendado que o candidato coloque mais de uma área.


Formação acadêmica ou Experiência Profissional, o que vem primeiro?

Foque sempre nos pontos fortes e relevantes! Por exemplo, se possui pouca (ou nenhuma) experiência, mas tem uma boa formação, é melhor exibir a formação em primeiro lugar. 

Na formação acadêmica: o último grau de experiência deve estar em primeiro, junto com o nome da instituição de ensino e o ano de conclusão.

Na experiência profissional: mencione o nome da empresa, cargo, período de atuação e quais as atribuições, de forma sucinta. Se tiver experiências legais de projetos ou estágios, dê preferência para eles na ordem do documento. 


Qualificações

Neste tópico, resuma as principais e melhores qualificações, juntamente com habilidades e conhecimentos – foque naqueles que julgar importante para a vaga a ser pleiteada. O resto, não importa tanto para o recrutador.

Cuidado para não se estender. Liste, no máximo, 5 itens.


Idiomas e Cursos extracurriculares

Não minta nunca sobre seu nível de proficiência, lembre-se que você pode ser testado durante a seleção.

Nos cursos, coloque os workshops e cursos de curta duração que participou somente se tiver pouca experiência profissional ou se os cursos forem muito relevantes para a vaga – lembre-se de acrescentar o nome da instituição, mês e ano e a carga horária.


Outras informações

Coloque experiências significativas como: intercâmbio, trabalho voluntário e outras atividades – desde que tenham relação com a vaga ou destaquem as suas qualidades profissionais. 


Não se esqueça de revisar com cuidado o documento antes de mandar e reserve um tempo para fazer uma apresentação de destaque no e-mail, que chame a atenção de quem está selecionando.

Com isso, você aumenta consideravelmente as chances do recrutador ter interesse em abrir e ler o seu currículo!


Mas como faço isso?

Primeiro, se apresente dizendo quem é você, o que estuda e por que está buscando a vaga. Em seguida, contextualize o recrutador: diga por que você é adequado para a vaga, combine suas habilidades com o que a vaga exige. Ao final, exponha sua motivação e o por quê a vaga te entusiasma. 

Prezado (nomear),

Sou estudante do curso de Administração e, durante o curso, descobri meu interesse pela área de recrutamento e seleção. Acredito que possuo o conhecimento inicial e características como empatia, liderança e pensamento estratégico – essenciais para o exercício da mesma. 

Durante minha passagem pela empresa júnior X, uma de minhas atribuições era selecionar novos participantes e acompanhar seu desenvolvimento. Para tal, eu organizava as seguintes ações (xxxxxxx). 

A vaga aberta em seu corpo de pessoal me entusiasma muito, tanto pela tradição de sua empresa quanto pela clara vontade de inovar, presente ao longo de sua história. Pensar em como desenvolver novos talentos é uma de minhas paixões, creio que poderia agregar valor à X.


Como driblar a falta de experiência


Quando se está na faculdade, redigir o campo de ‘experiência profissional’ de um currículo pode ser deprimente. Para que você não passe por isso separamos 5 dicas ótimas de como recheá-lo de experiência quando ainda se está na faculdade!

Para continuar por dentro dessas e de outras dicas curta nossa fanpage!






Veja ta mbém