O que o mercado de trabalho tem a nos ensinar?

Agilidade, criatividade e tomadas de decisão mais conscientes são alguns dos diferencias de estudantes que realizam trabalhos e projetos práticos durante a graduação. É o que acredita o coordenador do curso de Design da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), o professor Luciano Castro. Para o docente, o aluno deve ser estimulado a vivenciar situações práticas e aprender com o realismo do mercado.

A preocupação com demandas reais guiaram alguns ajustes no programa do curso: “O currículo proposto contempla projetos diversos em que o aluno aplica as teorias abordadas nos primeiros semestres, juntamente com disciplinas de caráter prático ao longo do curso”. Na parceria com a UpMe!, o curso promoveu conexões com o mercado em disciplinas como Branding, que proporcionou ao cliente a criação de logotipo e identidades visual da marca e Design Promocional, onde foram criadas campanhas publicitárias para uma organização não governamental. 

Da sua experiência como coordenador, Luciano avalia que é uma tendência natural das graduações atenderem as demandas da sociedade e do mercado. “O curso de Design da UFSC sempre adotou uma postura teórico-prática na sua grade curricular, estamos atentos às necessidades e aos problemas a serem solucionados no mercado”.

Mas o que muda na formação dos estudantes a experiência e o contato com “problemas reais” do mercado? Para ele, “os diferenciais se resumem principalmente na proatividade e assertividade em tomadas de decisão, pois já tiveram contato com situação semelhante, e, também, em questões de agilidade e criatividade nos processos de desenvolvimento por meio de métodos projetuais praticados na academia”. 


Veja ta mbém